You are currently viewing A Telemedicina em Cabo Verde. Katy Fernandes

A Telemedicina em Cabo Verde. Katy Fernandes

Sumário

A Tecnologia perpassa toda a estrutura da sociedade e logo, do viver humano.

A área da saúde também tem vindo a ser impactada pela transformação digital, e o próprio cidadão tem vindo a exigir cada vez mais a midiatização das tecnologias digitais.

A Telemedicina ou cura à distância, segundo a Organização Mundial de Saúde – OMS, é a oferta de serviços ligados aos cuidados com a saúde, nos casos em que a distância é apresentada como um fator crítico; tais serviços são providos por profissionais da área da saúde, usando tecnologias de informação e de comunicação (TIC) para o intercâmbio de informações válidas para diagnósticos, prevenção e tratamento de doenças e a educação (literacia) contínua de prestadores de serviços em saúde, assim como, para fins de pesquisas e avaliações; tudo no interesse de melhorar a saúde das pessoas e o bem-estar das comunidades.

A implementação dos serviços de Telemedicina em Cabo Verde funciona como um motor propulsor para o alcance dos cuidados paliativos e terapêuticos, a todas as pessoas, num País arquipelágico como é Cabo Verde, de descentralização e de descontinuidade geográfica.

Tudo com objetivo de melhorar o acesso a cuidados de saúde especializados e, a reduzir os custos em evacuações e a satisfação dos utentes e profissionais em diversas localidades.

Cabo Verde conta até ao momento com 12 (doze) centros de Telemedicina, tanto em Hospitais Centrais (Praia) como em hospitais regionais e/ou centros de saúdes. Iniciativa que é de louvar, dado que, o País não comporta condições técnicas suficientes de porte que permite lidar com equipamentos sofisticado de ponta nem indústrias voltadas a esse setor, tendo que ser tudo importado do exterior, inclusive assistência técnicas, acessoriamente.

Palavras Chave: Telemedicina, E-Saúde, Tic’s, Transformação digital, Saúde digital.

Eis o artigo completo:

Deixe um comentário